Breaking News

Manifestação em Brasília tem confrontos e fecha ministérios

Manifestantes contra o presidente Michel Temer (PMDB) tentam avançar para o Congresso Nacional e enfrentam a PM, que responde com bombas de efeito moral.

Manifestantes protestam em Brasília pela saída do presidente Michel Temer (PMDB), em razão as acusações contra ele que vieram a público após a delação do empresário Joesley Batista e outros executivos do grupo JBS.

Acompanhe AO VIVO o desenrolar do protesto em Brasília:

17:41 – Presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) encerra a ordem do dia e rebate as acusações de parlamentares de oposição de que ele estaria tentando imprimir um clima de normalidade enquanto manifestantes protestavam na Esplanada dos Ministérios. “Não estou alheio a nada”, disse Oliveira, da tribuna.

Acompanhe AO VIVO o desenrolar do protesto em Brasília:

17:41 – Presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) encerra a ordem do dia e rebate as acusações de parlamentares de oposição de que ele estaria tentando imprimir um clima de normalidade enquanto manifestantes protestavam na Esplanada dos Ministérios. “Não estou alheio a nada”, disse Oliveira, da tribuna.

17:31 – Policial é agredido pelas costas por manifestante no canteiro central, e a cavalaria se encaminha para o local.

17:30 – Manifestantes mascarados que estavam se dispersando tentaram montar barricada com placas para conter o avanço da polícia, que reagiu com gás de pimenta.

17:17 – Ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), comenta a edição do decreto do presidente Michel Temer autorizando o uso das Forças Armadas para garantia da lei e da ordem. Mesmo com a sessão plenária do STF seguindo normalmente, Mello se manifestou antes de proferir seu voto: “Presidente, voto um pouco preocupado com o contexto. Eu espero que a notícia não seja verdadeira. O chefe do Poder Executivo teria editado um decreto autorizando o uso das Forças Armadas no Distrito Federal no período de 24 a 31 de maio”.
Os demais ministros não se manifestaram. O Supremo julgava naquele momento a possibilidade de alíquota maior de Cofins e contribuição previdenciária para instituições financeiras.
17:12 – Presença da Força Nacional está autorizada até 31 de maio, segundo decreto do presidente Michel Temer publicado em edição especial do Diário Oficial.

17:10 – Governador do DF Rodrigo Rollemberg se manifestou, por meio de redes sociais, sobre vandalismo em protestos na Esplanada. Ele disse ter orientado a Secretaria de Segurança a assegurar o direito de manifestação nesta quarta-feira, mas declarou que “infelizmente, alguns grupos optaram pela violência como forma de protesto”. “Quero registrar aqui meu total repúdio a todo tipo de violência”, disse o governador, que no momento do quebra-quebra estava sancionando uma lei de subvenção para startups.

17:02 – Presidente da Câmara suspende sessão durante 30 minutos, após tumulto entre deputados. A briga começou entre Darcísio Perondi (PMDB-RS) e Glauber Braga (PSOL-RJ), mas foi generalizada aos demais.

17:01 – Plenário do Senado tenta votar projeto que torna o crime de estupro imprescritível, mas parlamentares ocupam a tribuna para protestar contra decreto que autoriza uso das Forças Armadas para garantia da lei e da ordem.

16:56 – Áudio é cortado durante tumulto na Câmara dos Deputados. Rodrigo Maia pede “calma” aos presentes.

16:49 –  Manifestantes mascarados impediram a saída de um carro de som.

16:48 – Força nacional avança e faz manifestantes recuarem na Esplanada.

16:46 – Policiais da Aeronáutica disparam balas contra manifestantes no Ministério da Defesa. Veja: