Breaking News

Nos últimos 20 anos, Brasileiro teve 12 técnicos campeões. Só dois vão começar 2017: veja onde estão os outros

Nos últimos 20 anos, Brasileiro teve 12 técnicos campeões. Só dois vão começar 2017: veja onde estão os outros
Se ainda restava dúvida, o próximo Brasileiro tratará de sanar de uma vez por todas: os 'medalhões' estão fora de moda. É essa a constatação que se faz ao observar o banco de reservas de cada um dos clubes. Ao longo dos últimos 20 anos, 12 técnicos diferentes ergueram a taça. Mas somente dois deles estarão presentes na edição que terá a sua largada dada neste fim de semana: Cuca (Palmeiras em 2016) e Abel Braga (Fluminense em 2012).

Antônio Lopes

Mais discreto hoje, o 'Delegado', como é popularmente conhecido, estará envolvido na Série A, mas fora de campo: desde o fim de 2014, ele desempanha a função de gerente de futebol do Botafogo, que ocupou antes no Atlético-PR e na seleção. Virou braço-direito do presidente Carlos Eduardo Pereira e teve peso decisivo na montagem do grupo que classificou os cariocas para a Libertadores. Agora, sonha mais alto. Por não repetir os títulos com o Vasco e Corinthians em 1997 e 2005, respectivamente?

Vanderlei Luxemburgo

No fim de abril, Luxemburgo esteve em Sapezal, a mais de 500 km de Cuiabá, cuidando de negócios particular. Um dos treinadores mais vitoriosos do país, ele venceu o Brasileiro por três clubes diferentes no período - Corinthians, 1998, Cruzeiro, 2003, e Santos, 2004 - e está sem clube desde que o deixou o Tianjin Quanjian, da China. Ele ensaiou uma reaproximação recente e recusou consultas de Coritiba e Vitória.

Oswaldo de Oliveira

Demitido por telefone, com a sua imagem 'arranhada' e em atrito com parte dos cartolas, Oswaldo de Oliveira se 'refugiou' no exterior para seguir a sua carreira após o desgaste a que foi submetido no Corinthians. Com mullta rescisória de praticamente R$ 800 mil após sua saida do Parque São Jorge, ficou pouco tempo parado. No último mês de janeiro, assumiu o Al Arabi, do Catar. Ele venceu a Série A em 1999 com o alvinegro paulista.

Joel Santana

O carisma de 'Papai Joel' perdeu o encanto. A famosa prancheta do técnico que conduziu o Vasco ao título da Copa João Havelange em 2000 não faz mais o mesmo sucesso de outrora. Sem o mesmo espaço de antes, esteve no comando do Boavista no último Carioca e, ao fim do estadual, se desligou da função para virar consultor do clube na Série D.

Geninho

Sumido? Não ouse falar isso em Natal. Geninho virou 'dono' da 'metade alvinegra' da capital potiguar. Pergunte a qualquer torcedor do ABC: logo após chegar em 2016, ele pôs fim a um jejum de cinco anos do clube sem ganhar o estadual com uma goleada histórica de 5 a 0 sobre o rival América-RN. Para completar, ainda assegurou o acesso para a Série B no fim da temporada. Foi campeão com o Atlético-PR em 2001.

Emerson Leão

Quatro anos afastado do futebol, Leão voltou ao futebol no início da temporada como consultor da Portuguesa. Não durou três meses. Alegando promessas não cumpridas, o treinador que viu surgir a geração de Robinho e Diego no Santos em 2002 preferiu deixar o cargo após ser 'desautorizado' por mais de uma vez pela alta cúpula do clube e atingir, segundo ele, o seu limite.

Muricy Ramalho

Tricampeão brasileiro com o São Paulo entre 2006 e 2008 e campeão com o Fluminense em 2010, Muricy deixou os bancos de reservas após quadro de diverticulite, uma inflamação no intestino grosso, e trabalha hoje como comentarista da emissora SporTV. O seu último trabalho foi no Flamengo, que venceu disputa no mercado com o Atlético-MG para levá-lo.

Andrade

Foram dois anos desempregado até a volta ao mercado neste mês no comando do Petrolina, que disputará a Série A-2 do Campeonato Pernambucano de agosto até novembro. Um dos nomes do Flamengo que se sagrou campeão brasileiro em 2009, Andrade trabalhou pela última vez no Jacobina, no interior da Bahia, em 2015. Em seu novo clube, deve ter a ajuda rubro-negra com reforços.

Tite

Nas Eliminatórias que seriam supostamente as mais difíceis de todos os tempos, Tite enfileirou oito vitórias seguidas, fez a seleção voltar a brilhar em campo e se tornar a primeira a garantir vaga na Copa do Mundo de 2018. Bicampeão com o Corinthians entre 2011 e 2015, virou 'blindagem' para que nomes contestados como Paulinho, Renato Augusto e Marcelo brilhassem e outros como Gabriel Jesus surgissem.

Marcelo Oliveira

Demitido do Atlético-MG em novembro do ano passado, Marcelo Oliveira chegou a receber sondagens de Sport e Goiás na atual temporada, mas preferiu aguardar o fim dos estaduais para definir o futuro. Existia a possibilidade de ida para o mercado árabe que acabou não concretizada. Ainda sem novidade em sua situação, curte o tempo livre com a família em Belo Horizonte.