Breaking News

Atletas flagrados em vídeo de masturbação coletiva são dispensados




O caso aconteceu no Rio Grande do Sul

Jogadores do Sport Clube Gaúcho, time da terceira divisão do Rio Grande do Sul, gravaram um vídeo que os mostrava em uma situação que virou polêmica e culminou em demissão. Mas, as imagens caíram na rede e começaram a circular na última sexta-feira (30).

As cenas mostram um dos jogadores  masturbando dois de seus companheiros dentro do vestiário da equipe, enquanto outro filma o ato. Os quatro foram dispensados do clube no sábado, 1.

Conforme informações da UOL, Gilmar Rosso, a oito anos presidente do tradicional clube de Passo Fundo, teria recebido o vídeo do roupeiro do time. “Quando apertei o play, já deletei, achei nojento”, disse ele.

“Não sou guardião da moral e dos bons costumes, não me interessa o que eles fazem ou deixam de fazer. A única coisa que eu fiquei bravo, a única coisa que eu proíbo aqui dentro é foto e filmagem, nada sem nossa autorização”, condenou Rosso.

A diretoria do clube fechou um acordo para rescindir o contrato dos jogadores envolvidos na polêmica. “Foi feito um acerto, um acordo, e eles seguem a vida deles. Até onde eu sei esses três não são gays, só fizeram [sexo] tirando onda, mas agora eles vão ter que provar que não são”, afirmou o presidente do clube.

Homofobia

O time virou alvo de críticas e piadas nas redes sociais, mas Rosso afirma que não houve preconceito contra os atletas e que a permanência deles seria inviável somente por causa do vazamento do vídeo. Para enfatizar o fato de não haver homofobia, o presidente lembrou que o time tem uma torcida organizada gay, a Coligay.

Foto:  Gilmar Rosso, presidente do Sport Clube Gaúcho – Reprodução/Facebook/Sport Clube Gaúcho