Breaking News

Goleiro Max, ex-Botafogo, tem morte cerebral confirmada aos 42 anos



Internado há um mês no Hospital da Lagoa, no Rio de Janeiro, ex-arqueiro alvinegro não responde a testes neurológicos, de acordo com médico e família: "Meu amor foi embora", diz esposa.


Foi confirmada na tarde desta quarta-feira a morte encefálica do ex-goleiro do Botafogo, Maxlei dos Santos Luzia, o Max, de 42 anos. A informação foi passada ao GloboEsporte.com pela família do ex-jogador e pelo neurocirurgião Haroldo Chagas - responsável pelo acompanhamento do ex-atleta. Max foi submetido a testes neurológicos no Hospital da Lagoa, na Zona Sul do Rio de Janeiro, onde estava internado, e não respondeu aos estímulos - o que atestou a morte cerebral. O local do enterro ainda não foi divulgado. Meu amor foi embora. Mas ele não morre para mim. Fui comunicada agora. O médico me falou... Estou vendo a possibilidade de doar os órgãos. Ele sempre foi uma boa pessoa. Estou aqui no CTI, perto dele... Entramos para ver ele, beijar ele, apertar a mão dele. Acho que ele gostaria que a gente doasse os órgãos. Acho que gostaria. Tenho que ver qual o trâmite agora - disse a esposa de Max, Marilda Faislon Luzia, momentos após a morte do ex-jogador. Max foi internado no Hospital da Lagoa no fim de junho com edema cerebral, 20 dias depois de sofrer um acidente em uma tentativa de assalto em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Na ocasião, a mulher do ex-goleiro explicou que internação pode não ter tido relação direta com a batida. - Os médicos ainda não têm um diagnóstico fechado do que ele tem. Acreditam que seja uma doença rara e autoimune, que o acidente acabou sendo coincidência. Mas ainda não dá para afirmar por ele não ter esse quadro fechado. Tudo que tentaram nele não deu certo, ele somente regrediu. Ele estava bem depois do acidente. Mas, 20 dias depois, começou a falar que estava com dor de cabeça e depois passou a ter confusão mental. Ele estava bem, brincando e tudo. Mas depois disso foi internado - declarou Marilda antes da morte. Segundo informações da assessoria de imprensa do Botafogo, será realizado um minuto de silêncio na partida do clube desta quarta-feira contra o Atlético-MG, pelo jogo de volta da Copa do Brasil. O confronto acontecerá no Estádio Nilton Santos, a partir das 19h30. A morte cerebral A morte cerebral acontece quando o ser humano tem a perda irreversível e total da atividade neurológica do cérebro e do tronco cerebral. Quando é constada pelos médicos, significa que não há cura ou volta para a sua recuperação. Oficialmente, a morte cerebral é a definição legal de morte. A carreira Revelado pela Portuguesa-RJ, Max teve ainda passagens por America, Bangu, Friburguense, Vila Nova-GO, Itumbiara, Joinville e Boa Esporte. O arqueiro viveu o grande momento da carreira no período em que atuou pelo Botafogo, entre 2002 e 2007, quando foi titular diversas vezes no clube e conquistou o Carioca de 2006. Antes de se aposentar, defendeu o Barra da Tijuca, em 2014. Botafogo emite nota; confira O ex-goleiro Maxlei dos Santos Luzia, conhecido como Max, infelizmente teve morte encefálica confirmada na tarde desta quarta-feira, segundo informações do Hospital da Lagoa. Submetido a testes neurológicos, ele não respondeu aos estímulos, o que atestou a morte cerebral, aos 42 anos. Max foi goleiro do clube de 2003 a 2007, conquistando o Campeonato Carioca de 2006. Querido por todos, sempre foi um ótimo profissional e um exemplo como homem. O Botafogo manifesta seu pesar e solidariedade a familiares e amigos. Haverá um minuto de silêncio antes da partida contra o Atlético-MG, nesta quarta-feira. Botafogo de Futebol e Regatas.

Ex-Botafogo sofre edema cerebral em tentativa de assalto e está internado no RJ Ex-goleiro Max, de 42 anos, que defendeu o Alvinegro de 2002 a 2007, pilotava um veículo em Duque de Caxias quando criminosos atingiram o carro em que estava com o objetivo de levar o automóvel oleiro do Botafogo entre os anos de 2002 e 2007, Max está internado no Hospital da Lagoa, na Zona Sul do Rio de Janeiro, desde a última segunda-feira. Segundo informações da esposa do ex-jogador, Marilda Faislon Luzia, o arqueiro sofreu um edema cerebral após ser vítima de um acidente de carro durante uma tentativa de assalto em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, há aproximadamente 20 dias. O Max teve uma edema na cabeça. Nós sofremos um assalto perto da nossa casa, em Duque de Caxias. Os bandidos jogaram o carro para cima da gente e vieram de frente. O Max teve uma fratura na mão, na mão direita. Então, ele foi atendido na emergência e engessou. Mas sobre a pancada na cabeça ele não ficou falando, não. Eu estava junto com ele no assalto. Eram quatro caras com escopetas. Foi muito tenso. Quando os caras entraram no carro, o carro não andava. Teve perda total. Isso aconteceu há 20 dias. Na sexta passada, ele acordou falando coisas sem sentido, sem nexo. Eu acordei muita assustada - disse. Ainda de acordo com a esposa do ex-jogador alvinegro, os criminosos não conseguiram levar o veículo, que ficou danificado com a batida. Marilda Faislon Luzia relata ainda que ela e o marido foram ameaçados após a colisão entre os carros e passaram por momentos de pânico. - Na realidade, eles nos abordaram de frente e acabaram batendo de frente com a gente. Acho que eles perderam o controle do carro. Quando eu levantei a cabeça, saíram quatro caras do carro. Eles ameaçaram matar o Max, revistaram ele, acharam que ele era policial. O Max demorou muito a sair do carro, porque estava machucado na mão. O airbag não ativou na batida. Eu me joguei no chão. Depois, o Max deitou no chão junto comigo. Eles entraram no carro, mas não conseguiram andar. Eles pegaram outro carro que vinha em nossa direção e não levaram nada nosso - declarou. O edema cerebral é um inchaço no cérebro, resultante do aumento de líquidos dentro e entre as células que o compõem. E pode ser causado por pancadas na cabeça. Ainda de acordo com Marilda Faislon Luzia, Max está internado em observação e consegue se comunicar, mas continua confuso. Segundo a esposa, ainda não é possível saber se o ex-goleiro ficará com sequelas. - Ainda não sei onde ele bateu com a cabeça. Mas nós achamos que ele bateu no para-brisa do carro, porque ficou quebrado. Comecei a procurar um médico porque a cabeça dele estava doendo muito. Fizemos uma tomografia no domingo em Duque de Caxias. Na tomografia, apareceu um edema. Depois, fui em um consultório em Botafogo. Lá, nós vimos que o edema era muito grande. Nós fomos correndo para os médicos na segunda e, na segunda mesmo, conseguimos interna-lo. Ele está internado e ainda está com muita confusão, ainda está confuso com as coisas. A gente não sabe de nada ainda (se ele terá sequelas). Nós estamos muito arrasados. Temos um filho de 12 anos em casa. Mas tenho fé em Deus que isso vai passar - afirmou. A carreira Revelado pela Portuguesa-RJ, Max acumula passagens por America, Bangu, Friburguense, Vila Nova-GO, Itumbiara, Joinville e Boa Esporte. O arqueiro viveu o grande momento da carreira no período em que atuou pelo Botafogo, entre 2002 e 2007, quando foi titular diversas vezes no clube. Antes de se aposentar, defendeu o Barra da Tijuca, em 2014.