Breaking News

Número de mortos no terremoto do México sobe para 58



Os números ainda podem aumentar durante as operações realizadas pelos serviços de emergência.


O número de mortos deixado pelo terremoto de 8,2 graus na escala Richter que atingiu a região sul do México na noite de quinta-feira subiu para 58, segundo as autoridades locais. Uma operação de resgate enorme está em andamento nos estados mais atingidos do país: Tabasco, Oaxaca e Chiapas, onde acredita-se que muitas pessoas ainda estejam presas sob os entulhos.
Segundo o diretor do Comitê Nacional de Emergências, 45 pessoas morreram em Oaxaca, dez em Chiapas e outras três em Tabasco. Os números ainda podem aumentar durante as operações realizadas pelos serviços de resgate.
Uma das cidades mais atingidas foi Juchitán, em Oaxaca, onde até o momento foram registradas dezessete mortes. A prefeitura local e muitos outros prédios foram completamente destruídos ou muito danificados. “A situação em Juchitán é crítica, esse é o momento mais terrível de sua história”, disse a prefeita Gloria Sanchez.
O presidente Enrique Peña Nieto viajou nesta sexta-feira ao estado de Chiapas para visitar as áreas mais afetadas. Ele agradeceu nesta sexta-feira no Twitter as demonstrações de “solidariedade e apoio” que recebeu de “nações amigas” após o terremoto.

Guatemala

Ao menos uma pessoa morreu na Guatemala, segundo o presidente, Jimmy Morales. De acordo com a Defesa Civil, o potente terremoto também destruiu 24 imóveis. O tremor, que inicialmente havia sido reportado com uma magnitude de 7,3 na escala Ritcher, foi estimado pelas autoridades guatemaltecas em 7,7 graus.

Papa

papa Francisco manifestou nesta sexta-feira seu apoio às vítimas. “Neste momento quero expressar minha proximidade espiritual a todos os que sofrem as consequências do terremoto que castigou o México na noite passada, provocando tantas mortes e danos materiais. A minha oração pelos que perderam a vida e a suas famílias”, disse o pontífice ao término da missa que oficiou na cidade de Villavicencio, na Colômbia.

VEJA MAIS
Audio bomba mostra o desespero de Lula com delação de Palocci