Breaking News

PM prende homem que comprou gado em leilões e pagou com cheques sem fundos


De acordo com o Capitão Joceli Júnior, do Regimento de Polícia Montada-Cavalaria da cidade de Goiânia, foi preso em Trindade na data de ontem 05, em uma chácara alugada, um homem que comprou gado com cheques sem fundos em diversos leilões de Goiás.

Com a prisão do estelionatário, a Polícia Militar evitou um prejuízo superior a R$ 100.000,00.
O homem comprou gado em leilões da localidade de Planalmira, próximo a Pirenópolis, e em outras cidades.
Ele tentou comprar gado no Leilão de Leopoldo de Bulhões e pagar com um cheque em nome de Lucilene Gomes de Carvalho da agência Bradesco de Trindade.
No entanto, após consultar os dados bancários da emitente, a direção do leilão decidiu não entregar o gado.
O estelionatário esteve no leilão de Gado de Leite e de Corte realizado em Vianópolis no último dia 24 de setembro, mas não comprou.
No entanto, em outros leilões, ele se apresentou como Ari Borges e efetuou o pagamento de suas compras com cheques em nome de Lucilene Gomes de Carvalho.
Após os cheques voltarem sem suficiente provisão de fundos, os proprietários dos leilões e dos bovinos vendidos acionaram a Polícia Militar e diante de informações de que ele teria alugado uma chácara em Trindade, a prisão de Ari foi efetuada ontem, 05.
No entanto, o homem usou nome falso em suas transações de gado, uma vez que seu nome verdadeiro é Gleiton César Borges.
Em Trindade, foram encontrados diversos bovinos, assim como na cidade de Brazabrantes.
Gleiton César Borges também adquiriu cerca de 100 sacos de ração de um comerciante de Nerópolis e passou ao mesmo um cheque emitido por Lucilene Gomes de Carvalho, também sem fundos.
As pessoas que compraram bovinos e sacos de ração de Gleiton vão responder por receptação.
Os animais já foram entregues aos seus legítimos donos.
A ocorrência foi atendida pelo Capitão Joceli, Sargentos Ely Alves e Palmier e Soldado Rodrigues do Cavalaria Supervisão e pelos Sargentos Duarte e Magalhães, assim como pelos Cabos Santos e Fernandes do Cavalaria 90.
Agora preso, Gleiton César Borges vai responder por estelionato e falsidade ideológica, uma vez que em seu poder foi encontrada uma carteira de identidade em nome de Ari Borges, nome usado pelo estelionatário.
Correspondente Vianopolino