Donos de casa de prostituição são presos e menor é apreendida em Caiapônia - PALMELO NEWS

Breaking

sábado, 18 de novembro de 2017

Donos de casa de prostituição são presos e menor é apreendida em Caiapônia


Adolescente é apontada como gerente do local


Uma casa de prostituição foi fechada na madrugada de sexta-feira, 17, durante uma operação das policiais Civil e Militar contra a exploração sexual, em Caiapônia, no sudoeste do estado.


Na ocasião, os proprietários do estabelecimento foram presos e uma menor de 17 anos, apontada como gerente do local foi apreendida.
Durante a ação, sete mulheres e uma travesti que trabalhavam na casa, foram encaminhadas à delegacia da cidade para prestar depoimento e logo em seguida foram liberadas.

O delegado responsável pelo caso, Marlon Souza, informou que os donos do estabelecimento vão responder por favorecimento à prostituição, por manter casa de prostituição, além de corrupção de menores, uma vez que praticavam os delitos na companhia da adolescente apreendida, que foi autuada por atos infracionais análogos aos mesmos crimes que os proprietários.
Denúncia
Segundo a polícia, a operação coordenada pela Polícia Civil com apoio da Polícia Militar já fechou três casas de prostituição na cidade no período de um mês.
Souza afirma que a corporação começou a realizar as ações em combate a exploração sexual no município, após denúncia de uma mulher que alegou ter sido vítima de cárcere privado em um dos estabelecimentos.
Em operações anteriores, o dono de uma das casas fechadas ainda não foi identificado e outro foi detido em flagrante. A expectativa é de que até o fim do ano, outros quatro estabelecimentos sejam fechados.

Suspeitos de exploração sexual de menores são indiciados em Goiás 

Professores e universitário são investigados por crime que aconteceu em Damolândia
Dois professores e um estudante de direito foram indiciados pela Polícia Civil por suspeita de exploração sexual de menores durante um torneio de futebol na cidade de Damolândia, em julho deste ano.
Segundo o delegado responsável pelo caso, Humberto Teófilo, o trio oferecia dinheiro para adolescentes com idades entre 14 e 17 anos em troca de favores sexuais.
As investigações apontaram que durante o evento esportivo, os professores Gilberto Ramos Ribeiro e Kesllen Rodrigo Ferreira Maia, e o universitário Cássio Henrique Azarias Souto, se uniram para abordar os menores que participavam do torneio no município.
Conforme a polícia, os suspeitos foram à cidade exclusivamente para cometer os abusos e até o momento, foram identificadas pelo menos 24 vítimas, sendo dez de Cássio e Gilberto e outras 14 de Kesllen. Nas abordagens os homens pagavam quantias que variavam de R$ 10 a R$ 20 em troca de favores sexuais.
As detenções de Gilberto e Cássio ocorreram no último dia 7. No mesmo dia, policiais cumpriram um mandado de busca e apreensão na casa de Kesllen, que também deve ser preso por envolvimento no caso. O trio deve responder por exploração sexual de menores e associação criminosa.
VEJA MAIS

Post Bottom Ad

Páginas