Cobrança de pedágio nas rodovias goianas e aprovada na comissão Mista da Assembleia de GO - PALMELO NEWS

Breaking

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Cobrança de pedágio nas rodovias goianas e aprovada na comissão Mista da Assembleia de GO



Foi aprovada na tarde desta terça-feira (12), pela Comissão Mista da Assembleia, o projeto de lei que trata sobre autorização de concessão de sete rodovias estaduais.

O projeto, enviado pelo governador Marconi Perillo (PSDB), quer conceder, por durante 35 anos à iniciativa privada, via licitação, seis trechos de rodovias estaduais duplicadas, todas a partir de Goiânia, num total aproximado de 600 quilômetros.
As rodovias selecionadas para a privatização seriam a GO-010, trecho Goiânia/entroncamento com a GO-330; a GO-020, trecho Goiânia/Bela Vista/Cristianópolis/Pires do Rio/Catalão; GO-060, trecho Goiânia/São Luís de Montes Belos/Iporá/Piranhas; GO-070, trecho Goiânia/cidade de Goiás; GO-080, trecho Goiânia/São Francisco de Goiás (entroncamento da BR-153); e a GO-213, trecho Morrinhos/Caldas Novas.
Na justificativa encaminhada aos deputados, Marconi cita a crise que assola o país e a necessidade de recursos públicos para a realização de investimentos destinados à adequação e melhoria da malha rodoviária em Goiás. “O sistema de concessão – destaca Marconi Perillo – apresenta inúmeras vantagens para a realização de empreendimentos com menor custo e, ao mesmo tempo, com melhor qualidade técnica e funcional.”
Agora a proposta precisa ser votada duas vezes em plenário antes da sanção do governador. Se aprovado pelo Plenário da Assembleia Legislativa, o processo de concessão das rodovias ficará sob responsabilidade da Agência Goiânia de Transporte e Obras (Agetop), a quem caberá a organização do certame licitatório, bem como assinar e gerir o respectivo contrato.
A proposta foi aprovada na comissão, mas ainda causa polêmica na Assembleia Legislativa. Para o deputado José Nelto (PMDB), os colegas que votaram a favor da concessão “votaram contra os anseios do povo goiano, atendendo à pressão do presidente da Agetop, Jayme Rincón”. Ele lembra que em Goiás estão os pedágios mais caros do Brasil.
Já o deputado petista Luís Cesar Bueno (PT), quer uma contrapartida da futura concessionária em relação a rodovias que receberam investimento do Governo do Estado anterior à concessão, como por exemplo o destinado à duplicação. Ele também pede isenção de pedágio para moradores da Região Metropolitana.
Para o deputado Major Araújo (PRP), os moradores do interior serão os mais penalizados e terão mais este custo com pedágio, além do alto preço dos combustíveis em Goiás.
O deputado Helio de Sousa diz que a propositura é polêmica, no entanto, traduz uma realidade nacional. “Os Estados e o próprio Governo Federal mostram que onde não feito [a concessão] a situação dessas rodovias está precária e o custo é muito maior para a população. É preciso ter a segurança de que o valor seja compatível com a realidade de quem usa a rodovia”, afirmou o parlamentar.
O presidente da Agência Goiana de Transporte e Obras (Agetop) Jayme Rincón acredita na aprovação do projeto destacando que a propositura não trará desgaste político para o Governo. “Trata-se de uma proposta de melhoria constante das rodovias, o que dará mais segurança e conforto para os goianos”, disse.


Post Bottom Ad

Páginas