Breaking News

Dono de rede de postos e outros 11 são presos em GO suspeitos de furtar e receptar R$ 22 milhões em combustíveis

Segundo delegado, empresário convencia motoristas cometer os crimes e a levar o produto para abastecer as unidades dele e de outros proprietários.



Uma operação da Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira (10), 12 pessoas suspeitas de furtar R$ 22 milhões em combustíveis, em Goiás. Entre os presos está o dono de uma rede de postos que, segundo a corporação, convencia motoristas cometer os crimes e a levar o produto para abastecer as unidades dele e de outros empresários. 

Segundo o delegado Alexandre Bruno Barros, responsável pelo caso, as investigações duraram cerca de 1 ano e identificaram, pelo menos, 52 crimes. “O dono da rede de postos cooptava motoristas, que atuavam no furto e no roubo, a levarem o combustível furtado para abastecer os postos dele e de outros empresários, e o produto era vendido normalmente para o consumidor, com lucro imenso para eles.”, disse. A Operação, denominada Líquido Dourado II, foi deflagrada na madrugada desta quarta-feira pela Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar) com o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF), e cumpriu mandados em Senador Canedo, Caldas Novas, Bela Vista e Rio Verde. 

Além dos 12 presos, o delegado afirmou que havia um mandado em aberto. “É um esquema criminoso que causou esse montante milionário de prejuízo aos donos de distribuidoras e transportadoras do produto. Todo mundo, dos empresários receptadores, passando pelos motoristas e ladrões de combustíveis estão entre os alvos desta operação”, afirmou. Conforme a Polícia Civil, os envolvidos vão responder por furto, receptação, organização criminosa, estocagem e armazenagem irregular de combustível.