Breaking News

Homem se arrisca e enfrenta alagamento para salvar cadela em Blumenau

Douglas Gomes caminhou com água quase até o pescoço para tirar Kira de casa inundada.

O técnico em mecânica Douglas Gomes, de 26 anos, arriscou a vida para salvar a cachorra de um vizinho durante um alagamento em Blumenau na tarde de terça-feira (16). Em vídeo, ele aparece caminhando com água até o pescoço para colocar a cadela nos ombros e levá-la para uma área segura.

"Quando cheguei, ela estava na ponta das patinhas pendurada em uma janela, assustada e sem fôlego de tanto nadar. Quando soube que ela estava lá não pensei em nada, só fui entrando na água", disse Douglas.

A voz que se ouve na gravação é da mãe dele, Leonora Gomes. No vídeo, ela recomenda cuidado ao rapaz porque o animal pode mordê-lo, enquanto ele caminha decidido até resgatar a cadela, chamada Kira.

"Muita gente viu o vídeo nas redes sociais e me parabenizou pelo gesto. Na verdade, eu fiz o que gostaria que fizessem pelas minhas cachorras. Em 2011, eu estava no quartel quando tivemos outra enchente aqui e também ajudei no que pude", contou.

Além de Kira, estavam na casa na hora da inundação outras duas cachorras e a sogra do tatuador Clóvis Joel de Oliveira. A mulher conseguiu retirar da casa só duas cachorras, mas Kira ficou.

"Ontem, era aniversário da minha mulher. Ela, minhas filhas e eu estávamos no Beto Carrero comemorando e soubemos do alagamento. Quando nos ligaram, achamos que nenhuma das cachorras tivessem se salvado. Hoje, abracei muito o Douglas, não tenho como agradecer pelo que ele fez por nós", afirmou.

Nesta quarta-feira (17), Clóvis trabalha na remoção da lama que restou dentro do imóvel. "Levei cinco anos para construir minha casa e tudo que restou foram as paredes. Ainda bem que minhas filhas estavam comigo, porque se estivessem em casa, agora estariam mortas", disse.

Apesar dos danos e do susto, para Clóvis o momento é de gratidão."Kira dorme com minhas filhas todas as noites. Graças ao Douglas ela está bem. O que ele fez foi de outro planeta", disse.

Desde o alagamento, Clóvis e a família estão na casa de parentes. De acordo com o Corpo de Bombeiros, apesar de heróica, a iniciativa de Douglas de entrar em uma área alagada poderia ter tido um desfecho trágico.


"Água é sempre sinônimo de perigo, tem risco de afogamento. A correnteza poderia tê-lo arrastado, como aconteceu em Florianópolis com um homem no Morro do Quilombo. Nesses casos, o melhor a fazer é acionar os bombeiros pelo 193", disse o tenente Eduardo Silveira Peduzzi.