Breaking News

Sobe para 18 número de mortos em ataque a hotel de luxo na capital afegã

Talibã reivindicou a autoria do atentado; invasores invadiram o prédio e incendiaram andares no sábado (20).


O número de mortos em um ataque ao luxuoso Hotel Intercontinental de Cabul, na capital do Afeganistão, subiu para 18 neste domingo (21), segundo o ministério do interior afegão, informou a AP. Um grupo armado invadiu o local na véspera, e incendiou andares do prédio.

Segundo o órgão, entre as vítimas fatais, 14 eram afegãs e quatro estrangeiras. O órgão não informou se entre os mortos estão incluídos os autores do ataque. Onze dos 14 afegãos mortos eram funcionários da KamAir, uma companhia aérea do país.

Outras 10 pessoas ficaram feridas, incluindo seis agentes de segurança e quatro civis.

A situação só foi controlada 12 horas após o ataque. Os invasores foram mortos, segundo Najib Danish, porta-voz do ministério do Interior afegão. "O ataque terminou, todos os assaltantes foram abatidos, 126 pessoas foram resgatadas, incluindo 41 estrangeiros", afirmou o porta-voz.

O Talibã reivindicou a autoria do ataque. "O ataque foi feito por cinco mujahideen dispostos ao martírio", declarou o porta-voz dos talibãs, Zabiullah Mujahid, em comunicado.

 ataque começou por volta das 21 horas de sábado (horário local, 14h30 em Brasília), e terminou por volta das 9h de domingo (2h30 em Brasília).

O porta-voz da polícia de Cabul, Basir Mujahid, diz que um dos insurgentes se sacrificou na entrada do hotel para facilitar a entrada dos companheiros. Outros três foram mortos pelas forças de segurança

O quarto andar do hotel, onde ficam restaurantes e uma piscina, ficou em chamas, segundo um agente da Direção Nacional de Segurança. O porta-voz do Ministério do Interior disse que a cozinha, que fica no terceiro andar, também foi incendiada.

Mais cedo, um hóspede que estava dentro de seu quarto declarou à agência de notícias AFP que podia ouvir os tiros. "Eu não sei se os atiradores estão dentro do hotel, mas consigo ouvir os tiros de algum lugar perto do primeiro andar", afirmou, sem dar seu nome.

"Estamos nos escondendo em nossos quartos. Imploro para as forças de segurança que nos resgatem o quanto antes, para que eles não nos alcancem e nos matem", disse.

O gerente do hotel, Ahmad Haris Nayab, conseguiu fugir e disse que um grupo de hóspedes também conseguiu escapar em meio ao tiroteio.

VEJA MAIS
Um duro golpe que ameaça o futuro do atletismo brasileiro