Breaking News

Morre 12º interno do Hospital Vila São Cottolengo em Trindade

Paciente estava internada no HDT e era tratada contra pneumonia; ela não tinha H1N1

A 12ª morte de pacientes do Hospital Vila São Cottolengo, em Trindade, foi registrada nesta segunda-feira, 2, após a confirmação há pouco mais de um mês, sobre um surto de H1N1 na unidade. Apesar da infecção no local, a paciente de 76 anos, que faleceu durante a madrugada, não tinha a doença.
Ela estava internada, desde o último dia 12, em um leito da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Doenças Tropicais (HDT) e era tratada contra uma pneumonia.
A assessoria de comunicação da Vila São Cottolengo informou que atualmente três internos estão em tratamento contra H1N1 e dois deles, precisam com urgência de transferência para um hospital.
Estes pacientes chegaram a ser internados no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), mas voltaram para a casa no último dia 21, após apresentarem melhora. No entanto, o hospital filantrópico explica que ambos pioram e um deles aguarda desde o dia 23 por uma nova vaga em UTI.
Mortes em série
A Vila abriga cerca de 300 pessoas com comprometimentos da saúde mental e motora. Destes, 57 adoeceram no período entre 24 de fevereiro e 5 de março, quando sete pacientes morreram em apenas um semana.
Na época, a unidade explicou que cinco dessas primeiras mortes foram motivadas por pneumonia e duas por fecaloma, que trata de uma complicação do aparelho digestivo. Além disso, ressaltou que todos os óbitos tiveram resultado negativo para a H1N1.
Em relação aos outros cinco casos, dois foram de pacientes que estavam internados em leitos de UTI do Hugo, ambos diagnosticados com a doença. Até o momento, a Secretaria do Estado de Goiás (SES-GO) afirmou que essas são as únicas mortes provocadas pela Influenza A durante o ano de 2018 em todo o estado. Nos outros casos, os pacientes tiveram pneumonia.