Breaking News

Acidente doméstico é principal hipótese para incêndio em prédio

Segundo Mágino Alves, houve uma explosão de um botijão ou de panela de pressão.

Um acidente doméstico é a principal hipótese levantada para explicar o incêndio que fez com que o prédio desabasse no Largo da Paissandu na madrugada desta terça-feira (1º), segundo secretário da Segurança Pública do estado de São Paulo, Mágino Alves. Ele foi ao local do acidente, no Centro de São Paulo, na manhã desta quarta (2).

“A primeira linha de investigação é que foi provavelmente um acidente doméstico. É o que se fala até agora. Uma briga de casal também ocorreu. Mas parece que também ocorreu um acidente doméstico. Parece que uma explosão de botijão ou de uma panela de pressão. Isso vai ser apurado no seu devido tempo”, disse Mágino.

eritos do Instituto de Criminalística de São Paulo analisam dois botijões de gás encontrados nos escombros do prédio que pegou fogo. Segundo os peritos do IC, um laudo será feito a partir da análise dos objetos e destroços encontrados para se chegar as prováveis causas do incêndio.

O delegado seccional do Centro de São Paulo, Marco Antônio de Paula Santos, disse que o 3º Distrito Policial instaurou inquérito para a Polícia Civil investigar as causas e eventuais responsabilidades pelo incêndio que resultou no desabamento do prédio. Segundo ele, existe a possibilidade de a Polícia Federal avocar a investigação pelo fato de o prédio ser do governo federal.

O capitão Marcos Palumbo, porta voz dos bombeiros, disse que outras hipóteses serão apuradas, como curto-circuito, por exemplo. “A única certeza até agora que temos é a de houve um incêndio e só análises aprofundadas dirão o que causou”, disse Palumbo.

Moradores do prédio disseram que ouviram um casal de vizinhos brigando e uma panela de pressão explodindo. "Começou no quinto andar. Uma panela de pressão explodiu. Era da casa de um casal com duas crianças pequenas. Foi tudo muito rápido. Eu desci correndo porque as labaredas estava muito altas”, disse a costureira Iraci Alves de Sousa.

Nota da Comgás
"Análises realizadas até o momento não detectaram danos à rede de gás natural que abastece a região. A equipe da Comgás continua monitorando os trabalhos no local".