Breaking News

Decreto obriga a instalação de taxímetros em moto-táxis em Goiânia

Documento que concretiza a obrigatoriedade será assinado nesta segunda-feira (14) pelo prefeito Iris Rezende. Preço da corrida também será estabelecido


Os mototaxistas de Goiânia terão que instalar um taxímetro em suas motos para a realização de corridas. O decreto que regulamenta a medida será assinado pelo prefeito Iris Rezende (MDB) nesta segunda-feira (14), e torna obrigatório o uso do equipamento, além de estabelecer os preços a serem cobrados pelo serviço aos usuários.
Com diferença dos táxis, que trabalham com duas bandeiras tarifárias, as motos funcionarão apenas em bandeira única. As viagens se iniciam no valor de R$ 3 e, a cada quilômetro rodado, terá o custo de R$ 1,44 e a hora parada será de R$ 17,80. O decreto também determina 90 dias como prazo para a instalação dos equipamentos nas motos.
A medida, segundo presidente do Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT), Fernando Santana, trará maior justiça para o usuário, que saberá exatamente o custo da sua viajem, sem variações injustificadas. Ele também afirmou que o equipamento será um instrumento importante na fiscalização do serviço, uma vez que ‘o usuário terá mais uma forma de saber se o mototáxis está regular ou não, ajudando, assim, a identificar os clandestinos’.
Quando o serviço de moto-táxi foi implantaOs mototaxistas de Goiânia terão que instalar um taxímetro em suas motos para a realização de corridas. O decreto que regulamenta a medida será assinado pelo prefeito Iris Rezende (MDB) nesta segunda-feira (14), e torna obrigatório o uso do equipamento, além de estabelecer os preços a serem cobrados pelo serviço aos usuários.
Com diferença dos táxis, que trabalham com duas bandeiras tarifárias, as motos funcionarão apenas em bandeira única. As viagens se iniciam no valor de R$ 3 e, a cada quilômetro rodado, terá o custo de R$ 1,44 e a hora parada será de R$ 17,80. O decreto também determina 90 dias como prazo para a instalação dos equipamentos nas motos.
A medida, segundo presidente do Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT), Fernando Santana, trará maior justiça para o usuário, que saberá exatamente o custo da sua viajem, sem variações injustificadas. Ele também afirmou que o equipamento será um instrumento importante na fiscalização do serviço, uma vez que ‘o usuário terá mais uma forma de saber se o mototáxis está regular ou não, ajudando, assim, a identificar os clandestinos’.
Quando o serviço de moto-táxi foi implantado na capital, 1.790 vagas foram ofertadas. Atualmente, 781 mototaxistas estão cadastrados na SMT e, dentre estes, apenas 379 estão com as documentações em dia junto ao órgão.