Breaking News

Força-tarefa prende idoso e identifica seis suspeitos de explodir três agências bancárias em Ipameri

Detido é pai de alguns dos envolvidos na série de ataques no município. Ele estava em uma fazenda, na zona rural de Cristalina.


Um idoso de 68 anos foi preso e outros seis homens foram identificados, suspeitos de participar da explosão de três agências bancárias e do roubo a uma loja em Ipameri, na região sudeste de Goiás. O detido estava em uma fazenda na zona rural em Cristalina, no Entorno do Distrito Federal, e é pai de outros envolvidos. Vídeos registram a ação dos criminosos (veja acima).

“Todo o poder da polícia participou, a chegada imediata da polícia e o levantamento dos indícios levaram até a propriedade, onde encontraram explosivos, as joias roubadas, que confirmava a participação no roubo”, disse o secretário de segurança pública, Irapuan Costa Júnior.

A série de ataques aconteceu por volta das 1h30 de terça-feira (9). O grupo, fortemente armado, explodiu três agências bancárias e uma unidade dos Correios, além de roubarem a ótica e incediarem uma caminhonete. Apesar dos danos, ninguém ficou ferido.

Responsável pela investigação, o delegado Samuel Moura explicou que o grupo é suspeito de ser autor de outros quatro ataques: explosões de carros fortes em Montes Claros, no último dia 2 de fevereiro, em Cristalina, do dia 5 de março deste ano, além das explosões das agências do Banco do Brasil em Abadia de Goiás, no dia 4 de abril, e em Campo Alegre de Goiás, no último dia 6 de abril.

“Eles não conseguiram levar valores. Único prejuízo foram as joias, que foram encontradas na chácara. Foi uma ação desastrosa, foi o quinto evento sem levar valores”, disse o delegado.

Todos os integrantes identificados são da Bahia e, de acordo com Moura, usaram a chácara desde a primeira ação, como depósito de armas e esconderijo. O delegado crê que eles estão em Goiás desde o início do ano. As identidades deles não serão reveladas para não atrapalhar as investigações.

Ataque
De acordo com a Polícia Militar, a ação durou cerca de uma hora. Vídeos e áudios gravados por moradores da cidade registraram dezenas de tiros por cerca de 40 minutos. O Corpo de Bombeiros foi acionado e apagou as chamas das agências bancárias atingidas pelos criminosos.

Na fuga, os assaltantes incendiaram uma caminhonete, bloqueando o tráfego na GO-330, rodovia que dá acesso a Goiânia. O fogo foi controlado por pessoas que passavam pela rodovia. Segundo moradores, o grupo ainda jogou pregos e objetos perfurantes ao longo da rodovia, para dificultar a perseguição por policiais.

Os policiais levantaram que os criminosos usaram uma Toyota Hilux e um Honda IX 35. De acordo com o secretário, eles estavam fortemente armados: "Usaram fuzis automáticos, de guerra, e pistolas das mais modernas".


Irapuan Costa Júnior ponderou que o número de ações contra agências bancárias neste ano é menor do que o registrado no mesmo período do ano passado. Segundo a SSP, em 2017 foram dez arrombamentos simples, 27 com explosão e quatro com maçarico. Já em 2018 aconteceram três arrombamentos simples, 10 ações com uso de explosivos e 1 com maçarico. Do total, 12 casos foram solucionados.

"Esse episódio deixa uma sensação de insegurança muito grande, mas alguns números foram levantados para saber que a polícia está trabalhando e combatendo com sucesso. Estejam certos que estamos trabalhando para evitar, tanto quanto possível, crimes", concluiu.