Breaking News

Bebê é resgatado com ferimentos graves após ser atacado por cachorro, em Goiânia

Segundo Corpo de Bombeiros, menina de 1 ano sofreu lesões no rosto e no pescoço ao ser mordida por pastor alemão. Hospital informou que ela está internada em estado grave da UTI pediátrica.

ma menina, de 1 ano, ficou gravemente ferida após ser atacada por um cachorro, na manhã desta terça-feira (19), na Vila Maria Luiza, em Goiânia. Segundo o Corpo de Bombeiros, a criança teve lesões no pescoço e no rosto e foi encaminhada, no helicóptero da corporação, para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol).

Segundo informou a assessoria de imprensa da unidade em nota eviada ao G1, às 13h42, a menina está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UIT) pediátrica com quadro grave e respira com ajuda de aparelhos

O tenente-coronel Marcelo Granja, assessor de comunicação da Polícia Militar, disse ao G1 que o pai da criança é sargento da corporação. Ele informou que o cão é da raça pastor alemão.

De acordo com vizinhos, ela estava na casa da avó quando foi atacada. A aposentada Helenita Carvalho disse que seu esposo saiu correndo para verificar o que estava ocorrendo.

"Escutando os gritos, meu marido correu para lá e ela [avó da menina] não conseguia abrir a porta. Foi muito rápido. Quando minha filha falou 'é o cachorro que está com a criança'. Ela está muito machucada. Dá uma tristeza, é uma criança", diz.

O esposo dela, o operador de máquinas Cícero Carvalho, conta que ele e outros vizinhos foram até o local para tentar ajudar. Porém, como a moradora não consegua abrir a porta, ele teve que pular o muro. Ao resgatar a menina, acabou machucando o braço.

"A vizinha começou a gritar, todo mundo correu. Ela não abriu o portão e nós saltamos o muro. A avó gritou muito, 'socorro, socorro'. Eu e outros vizinhos corremos. Como tinha outro cachorro solto, eles não quiseram descer, e eu desci. Peguei ele, segurei e levantei foi a hora que ele soltou. A menina ficou no chão também, quietinha. Fico satisfeito dela ter sobrevivido", salienta.

Socorro rápido
A assessoria dos bombeiros, após ser atacada, a menina foi socorrida por familiares vizinhos e levada de carro para o Centro de Assistência Integral à Saúde (Cais) do Jardim Novo Mundo.

Ao notarem que a situação da garota era crítica, os médicos pediram a transferência para o Hugol. Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) a levou até uma praça do bairro, onde o helicóptero dos bombeiros pousou e a transportou.

O enfermeiro Hildson Lemes disse que a menina chegou em estado bastante crítico. "Ela chegou com uma lesão no pescoço do lado esquerdo e também com mordeduras múltiplas na face, estava bem dilacerada segundo relato das pessoas que socorreram ela. Estava em estado grave, com rebaixamento de nível de consciência", explica.

De acordo com o tenente-coronel Fernando Caramaschi, o atendimento rápido foi fundamental para que a criança pudesse ser socorrida com vida e encaminhada para receber socorro especializado.

"As chances seriam reduzindas [se o socorro demorasse]. A criança tinha grandes ferimentos, perdido bastante sangue e suspeita de apsiração de sangue pelo pulmão. Foram realizados procedimentos e o transporte lá do Novo Mundo até aqui na região noroeste, que é uma distãncia considerável, foi realizado me pouco mais de 3 minutos no nosso helicóptero"