Breaking News

Falta gás de cozinha em três regiões do país, diz entidade

De acordo com a Abragás, escassez do produto ocorre porque os consumidores, por receio de ficar sem, continuam comprando mais botijões do que necessitam
A oferta dos botijões de gás de cozinha continua passando por problemas no país, apesar de a greve dos caminhoneiros ter chegado ao fim. Hoje, as cidades localizadas nas regiões Sul, Centro-Oeste e em Minas Gerais estão entre as mais afetadas pela falta do produto.

Segundo a Abragás, a associação do setor, a demanda por Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) está 30% acima da produção (envase) das distribuidoras. O gargalo ocorre porque os consumidores continuam comprando mais botijões do que suas reais necessidades com receio de que o produto volte a faltar.

“Criou-se uma bolha, não para o consumo, mas para armazenamento, consumidores fazem filas nas revendas, em especial nas cidades que se encontram mais distantes das bases de envasamento, em uma cena de desespero para comprar o gás”, diz José Luiz Rocha, presidente da Abragás. De acordo com ele, deverá levar pelo menos mais uma semana para que o abastecimento do produto seja normalizado em todos os estados do pais.

Rocha ainda faz um apelo para que as pessoas entendam a situação grave de desabastecimento, e pede que ninguém compre um segundo ou terceiro botijões sem necessidades. “Um botijão dura, em média para uma família de 4 pessoas, 42 dias”, afirma.

Dados da pesquisa semanal de preços divulgados pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) na segunda-feira, 4, mostram que o preço médio dos botijões vendidos pelas distribuidoras subiu de 66,97 reais na semana do dia 19, para 70,61 reais até o dia 2 de junho, uma alta de 5,4%.

Devido à paralisação dos caminhoneiros, o número de pontos de revenda de botijão também diminuiu no período. No total, foram 587 estabelecimentos verificados pela agência, ante 4371 duas semanas atrás. O preço mínimo de venda do GLP encontrado foi de 53 reais – duas semanas antes o preço era de 45 reais -, e o preço máximo chegou a 105 reais.