Breaking News

Casal de jovens é morto a tiros após sair de velório em cemitério de Aparecida de Goiânia

Vítimas, de 19 e 20 anos, foram alvejadas quando passavam de moto perto do Credeq; eles chegaram a ser socorridos, no local mas não resistiram aos ferimentos. Suspeitos fugiram.


Um casal de jovens foi morto a tiros após sair de um velório no Cemitério Jardim Boa Esperança, em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital. As vítimas, Igor Pereira da Silva, de 20 anos, e Ludimila de Souza Siqueira, de 19, foram alvejadas quando passavam de moto próximo ao Centro Estadual de Referência e Excelência em Dependência Química (Credeq), no mesmo bairro, onde chegaram a ser socorridos, mas não resistiram aos ferimentos. O duplo homicídio ocorreu no final da tarde de quarta-feira (8). Em nota, a assessoria de imprensa do Credeq informou que, além dos médicos da unidade, o Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu) também ajudaram no socorro, em vão. O comunicado desataca ainda que, ao ser atingida, a Ludimila ficou caída no asfalto. Já Igor tentou correr para o estacionamento do Credeq, mas também foi alcançado e baleado. Os suspeitos fugiram. Na nota, o Credeq lamentou o ocorrido e informa também que os corpos já foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Aparecida de Goiânia. Diz ainda que documentos e informações sobre "possíveis envolvidos na aparente emboscada praticada contra o casal" foram repassados para a Polícia Militar. O G1 entrou em contato com o tenente-coronel Marcelo Granja, assessor de comunicação da PM, às 8h. Ele disse que estava a caminho do quartel e que, assim que chegar, repassará informaçõe sobre o caso. Ao G1, a assessoria de comunicação da Polícia Civil informou foram feitos vários disparos calibre 380 e que o caso será investigado pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Aparecida de Goiânia. O titular do GIH, delegado Klayter Camilo, disse, por mensagem, que "as consultas feitas até ontem [quarta-feira] indicam que nenhum dos dois tinham registro criminal".