Breaking News

Homem que matou mulher a facadas em Vianópolis é condenado a 17 anos de prisão

Durou cerca de 7 horas, o julgamento de João Batista Barrozo que no dia 18 de março do ano passado, matou, com golpes de faca, sua esposa, Romilda de Jesus Pereira, de 34 anos de idade, no Bairro São José em Vianópolis. O homem tentou suicídio depois de matar cruelmente sua esposa.

Este foi o primeiro julgamento realizado em Vianópolis após a sanção da Lei do Feminicidio que transformou o crime de gênero em hediondo, cuja pena varia de 12 a 30 anos de reclusão e deve ser cumprida necessariamente em regime fechado.

A sessão do júri popular foi presidida pela Juíza Marli de Fátima Naves. O promotor de justiça, Lucas César Costa Ferreira atuou na acusação, enquanto que as advogadas vianopolinas, Marina Soares e Amanda Lemos, nomeadas pela juíza, defenderam o réu.

Na parte da manhã, foram ouvidas as testemunhas arroladas pelas partes e também o depoimento do réu. Após intervalo determinado pela juíza Marli de Fátima Naves, aconteceram os debates e o julgamento dos quesitos pelo Corpo de Jurados, composto de 4 homens e 3 mulheres.

Logo depois, a Juíza Marli de Fátima Naves fez a leitura da sentença que condenou João Batista Barrozo a 17 anos e 06 meses de reclusão em regime fechado. Ela negou que ele recorra em liberdade.

Desta maneira, João Batista Barrozo foi conduzido à Unidade Prisional de Vianópolis, passando, então, a cumprir a pena imposta pelo Tribunal do Júri.

Familiares do réu e da mulher assassinada no Bairro São José, assistiram o julgamento.