Breaking News

Professor agredido em sala de aula no RJ diz que chegou a pedir ajuda, mas não teve apoio

'Ninguém me ouve, ninguém vem falar comigo'. Thiago Conceição disse ter ido à Secretaria de Educação muito abalado e que solução foi deixar a escola.


O professor Thiago dos Santos Conceição, de 31 anos, que aparece em um vídeo que circula na internet sendo humilhado em sala de aula, disse que chegou a pedir ajuda durante o momento das agressões. “Um dos vídeos mostra eu pedindo ajuda na porta, sendo que ninguém me ouve, ninguém vem falar comigo. Eu recolho o meu material e vou à direção. Nessa escola, em especial, diretor fica responsável pela parte administrativa. Nunca recebi a visita de nenhuma diretora em sala de aula”, lamentou. Segundo Thiago, após a agressão, ele chegou a ir até a Secretaria de Educação do município para pedir ajuda. Ao conversar com a subsecretária de Educação, a solução apresentada foi que ele saísse da escola. "Sem nenhum apoio, eu fui chorando, consegui chegar à Secretaria de Educação muito abalado. Pediram que eu fosse à Ouvidoria, fiz a denúncia e não conformado fiquei na Secretaria aguardando que alguém falasse comigo. A subsecretária me atendeu e falou que era muito triste aquele situação e que na escola não teria vaga. A solução era sair da escola", disse Thiago. "Ontem, a subsecretária ligou pra dizer que está dando total apoio psicológico, sendo que isso não está acontecendo.
Eu não posso voltar a Rio das Ostras porque nas ameaças os alunos pediram pra eu tomar cautela e pra eu ter cuidado pra não amanhecer morto", completou. O vídeo foi gravado em uma sala de aula do Ciep Municipal Mestre Marçal, em Rio das Ostras, no interior do Rio de Janeiro, na última terça-feira (18). Nas imagens, um dos adolescentes chega a arremessar uma pochete na direção do professor enquanto ele escrevia no quadro. Thiago questiona se a intenção era atingi-lo e outro aluno responde: "'Peraí' que agora vai acertar". Após a repercussão do caso, o aluno que aparece nas imagens arremessando o objeto gravou um vídeo pedindo desculpas a Thiago. No vídeo do pedido de desculpas, o adolescente diz que “todo mundo já teve um momento de criança, de fazer o bagulho no embalo". "Queria pedir desculpa pelo acontecido pelo fato de ter feito o que eu fiz na sala de aula, ter tacado o objeto, não no professor, mas no quadro que quase pegou nele,” diz o aluno. Professor diz que alunos não estavam brincando Em entrevista ao Bom Dia Rio na manhã desta sexta-feira (21), o professor afirmou que o aluno não estava brincando. “Eles não estavam brincando. Não existe brincadeira de ameaçar o outro, conforme foi feito. Eles falam no vídeo 'você vai matar mesmo o professor?' e o outro aluno diz 'vai matar'", acrescentou Thiago. “Não adianta simplesmente pedir desculpas como da maneira que estamos vendo nesse vídeo. Eu não vejo nenhum arrependimento. 

Eu entendo a desculpa como mudança de atitude que ele e a família dele precisam refletir”, afirmou o professor. Thiago relatou ainda que falta mediação na escola que os professores têm dificuldades em conhecer o aluno, saber onde ele mora, além de não ter contato com os responsáveis dos estudantes. “Eles [os alunos] têm que entender o que eles estão fazendo, que cidadão eles estão querendo se tornar agredindo uma autoridade, depredando a escola. Eu fico triste porque parece que eu não deixei nenhum legado para eles”, lamentou. Polícia Civil vai investigar o caso Nesta quinta-feira (20), a Polícia Civil abriu inquérito nesta quinta-feira (20) para apurar a humilhação sofrida pelo professor. Segundo a polícia, quatro alunos foram identificados. O Ministério Público Estadual também entrou no caso por meio da Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude da Comarca de Rio das Ostras. O órgão informou que um dos estudantes é maior de idade e, por isso, vai comunicar o fato à Promotoria de Justiça Criminal, que possui atribuição para crimes cometidos por maior de idade. As cenas viralizaram e uma série de ações ocorreu ao longo desta quinta na unidade de ensino, como uma reunião com os pais dos responsáveis no final da tarde. Segundo a Secretaria de Educação de Rio das Ostras, nesta reunião os pais se desculparam e disseram que os filhos se arrependeram. Os alunos envolvidos chegaram a postar vídeos nas redes sociais se desculpando, mesmo assim, a Polícia Civil disse que vai querer ouvir todos os envolvidos nos próximos dias.

ACREDITO QUE NÃO É ESSA A EDUCAÇÃO QUE VC QUER PARA OS SEUS FILHOS ISSO COM A FALTA DE INVESTIMENTOS E FALTA DE ESTRUTURA DADA NA EDUCAÇÃO COM A REDUÇÃO DA VERBA 



MINERAR BITCOIN COM CRIPTOTAB BROWSER